14 de out de 2009

13 de out de 2009

Ilusão


Quando, realmente, as pessoas se envolvem e apaixonam-se por você?
Quando, realmente, as pessoas se envolvem e apaixonam-se por uma idealização sua?
Quando, de fato, há amor nas relações humanas que o consciente e subconsciente não interferem?
Será que as nuvens acinzentadas sempre serão assim?
E se a visão, a pupila, o íris forem na verdade em preto e branco, onde o colorido desenvolvesse apenas para aqueles que conseguem desenvolver o colorido?
Vivemos de ilusões? De idealizações?
E o real? Fugimos dele por medo de enxergarmos o que não nos convém?
Estaremos nós, tão cegos a ponto da imaginação ser melhor observada ao invés do real?
Qual real? Indago. Quando o meu real é diferente do seu! Concluo.

2 de out de 2009

Ouvir


Ouvir é aprender, perceber a realidade das coisas.
É no silêncio que consigo entender meu eu real, sem ilusões.
Ninguém pode tirar uma foto de mim e me mostrar quem sou.
Eu tenho que ficar quieto e dar um passo para dentro.
Então eu vejo a impressão digital, o arquétipo da minha bondade original.
O verdadeiro eu, a alma.


Como Chico Xavier dizia: " Temos dois ouvidos e uma boca, talvez seja para ouvirmos mais do que falarmos."


Positive Vibration