20 de jul de 2010

prefiro as pessoas nuas!


Aquele calção já não me pertencia havia um tempo, porém continuava na minha estante de coisas impróprias ou importantes. o fato é que descobri que aquele mesmo calção ganhou pernas. a medida que ia descobrindo outras vestimentas, pude compreender que não se tratava mais de ostentar aquele bom e venho, companheiro em algumas horas e em outras duvidoso, calção. acho na verdade que o ciclo dele acabou, assim como termina vínculos que fazemos pelo caminho, pois é, o que tinha com ele, fechou. o engraçado é que por mais outras saias que possuo, sinto falta deste. compreendi então que tudo que nos fez feliz um dia, sentimos falta, não porque precisamos mais sim porque nos acostumamos com as vestimentas que usamos ao longo da vida. o difícil disso tudo é discernir as fantasias que usamos com a ilusão que criamos quando esta está em nós e muitas vezes confundimos a nudez com a roupagem. aí mora o disfarce!


PORTANTO, PREFIRO AS PESSOAS NUAS!


15 de jul de 2010

Definição é o tipo de palavra medíocre, simplesmente não sou adepta a esta e eis que surge o questionamento que esta em todos os lugares (orkut, provinha, teste idiotas, enquete): quem sou eu? Deste eu realmente não suporto, pois necessita-se de definição de adjectivos que qualifiquem atitudes minhas e outros que desqualifiquem. Engraçado essa merda toda que as pessoas insistem em colocar em "provinhas" de aprovação para empregos ou em livros de auto ajuda! Definir o que? Quando para cada qual a verdade muda de lado conforme os condicionamentos e conveniências em jogo, então definição é justamente a palavra errada! Puta, é realmente contraditório, pois as definições continuam aqueles mesmos clichés para demonstrar que você esta dentro do padrão, quando se fala cada vez mais da necessidade de conseguir a diferença! Sou apenas a pessoa que intimida por falar que não possui opinião diante de algo que não conhece, e as expressões não escondem a agunia em ouvir o necessário.

13 de jul de 2010

sonho incoerente

Acordei de um sonho real, então questionei-me onde de fato está o sonho? Quando dormimos, vivemos num plano que não há controle, ou mesmo consciência alguma, não há muito nexo ou tempo, há apenas imaginação, porém esta é sentida. Precisamos de oito horas para relaxar, dormir, se desligar, entretanto, desligamos somente o corpo, mais os sentidos, a imaginação, o subconsciente continua agindo mesmo você estando "desligado do mundo". Mais que mundo? Se sonho é denominado sendo algo maravilhoso no qual você controla, então quando dormimos não sonhamos, vivemos a realidade, pois sentimos as emoções, e não utilizamos da razão, já o sonho, para nós visto como realidade, considerado quando desejamos verdadeiramente algo, logo, atraímos isso, conclui que pode-se ser quem quiser e atrair o que quiser, portanto quando acordamos, acordamos para viver um sonho e não, de fato, a realidade, uma vez que controlamos nossas rotinas, administramos nosso "tempo" físico, nossa razão passa a agir conforme os condicionamentos que carregamos, tudo isso não passa de um sonho, mesmo porque sonho não é eterno, acaba, e nós acabamos junto com ele, quando morremos, nos desligamos enfim da matéria, contudo nosso espírito, alma ou energia vital continua a existir, ou seja, continua sua realidade tendo conquistado ou não o sonho, que pra nós hoje, a vida! O mais fascinante em si pensar nisso está justamente na ideia da palavra sonho, pois se vivemos em um, então este pode ser exactamente como imagina, sendo plausível pensar que a limitação é a nossa mente e impossível é inexistente, que fadas e duendes tem vida quando ganha credibilidade!

7 de jul de 2010

Escolhas

por mais escolhas que a vida nos insiste em fazer, vejo nitidamente o quanto ainda há muito o que se desenvolver. o engraçado deste fato é que nem sempre tomamos as melhores decisões, ou então, as que nos renda uma felicidade mais intensa. na verdade, creio mais e mais que não há como fugirmos de um destino. quando me refiro a este, sim, é porque acredito em sinais mandados pelos céus para chegarmos em uma nova visão. o que me deixa mais angustiada, é saber que em algum momento destas escolhas, terei que abrir mão de amores, de conceitos, e até de desilusões. Acredito que esta hora está chegando, sinto com uma força tão poderosa, que mais cedo ou mais tarde, abandonarei minha identidade Renata, criando uma nova, uma melhor, uma mais intensa, mais liberta, mais amena e mais pura. Sinceramente, não vejo muito sentido em continuar em rotinas que me deixam perdida, completamente perdida. Não quero um chão sólido, talvez minha busca seja pelos Lençóis de Maranhão, pelas festas de Parintins, pelas ocas de Roraima, pelas águas de Porto de Galinhas, pelas cachoeiras das Chapadas, enfim, pela imensidão que me aguarda, pelas estrelas e suas infinitas luzes... descobrir um pouco mais quem eu sou, o material que me criou!

1 de jul de 2010

Vida bandida


O pensamento hoje é apenas um, como o ser humano é fantástico! Não há limitações para qualquer coisa, a não ser as que colocamos. A divindade de tudo isso está além da nossa imaginação. Ontem, quando fui ao centro da cidade de Avaré, estava observando uns brincos estendidos na calçada, por um hippie, se assim posso chamá-lo, enfim, cumprimentei-o e a conversa fluiu. Percebi de imediato que são poucos a pararem para dialogar com o sujeito, penso eu que seja por conta de suas vestimentas ou então de suas idéias. O que, de fato me tocou, não foi nem as vestimentas, nem as idéias, mais sim a forma como o olhar daquele homem era totalmente fascinante, cuja bondade estava presente em todas suas atitudes e palavras. Aquilo me deixou mais contagiada ainda. A conserva se estendeu durante, acredito eu, uns 40 minutos. Não conseguia me despedir daquele ser com tantas experiências e ideias sensatas que proferia. Tive então, certeza, que o encantamento dos seres é totalmente independente de sua carcaça. O mais louco ainda em se pensar, como as pessoas não param para conhece-lo? São tantos lugares onde aquele nômade passou, já esteve presente com tantas culturas distintas, tantos lugares maravilhosos, tantas energias captou e possui dentro de si, por tantas poucas e boas já viveu. Esses homens são vistos como "vagabundos ambulantes" que só perambulam por ai, porem eu vejo diferente, enxergo um homem com visão, com ideias e ideais que estão além da linha do horizonte do restante dos seres, pois este mesmo homem, denominado como"hippie" é muito mais sábio, pois criou a oportunidade de conviver e presenciar, de viver com um próximo que jamais conheceu, em paz, em harmonia, apenas saboreando as diferenças e aprendendo com elas! A vida de grandes riquezas para alguns, é a vida de "vagabundos" para outros. Onde você quer estar?