20 de jul de 2010

prefiro as pessoas nuas!


Aquele calção já não me pertencia havia um tempo, porém continuava na minha estante de coisas impróprias ou importantes. o fato é que descobri que aquele mesmo calção ganhou pernas. a medida que ia descobrindo outras vestimentas, pude compreender que não se tratava mais de ostentar aquele bom e venho, companheiro em algumas horas e em outras duvidoso, calção. acho na verdade que o ciclo dele acabou, assim como termina vínculos que fazemos pelo caminho, pois é, o que tinha com ele, fechou. o engraçado é que por mais outras saias que possuo, sinto falta deste. compreendi então que tudo que nos fez feliz um dia, sentimos falta, não porque precisamos mais sim porque nos acostumamos com as vestimentas que usamos ao longo da vida. o difícil disso tudo é discernir as fantasias que usamos com a ilusão que criamos quando esta está em nós e muitas vezes confundimos a nudez com a roupagem. aí mora o disfarce!


PORTANTO, PREFIRO AS PESSOAS NUAS!