27 de mai de 2010

Novelas, noleveiras, nove(velas)

As vezes penso que não passo de uma idealista, poeta, romântica
Que enxerga o mundo com magia e pureza
Tenho certeza que condicionamento de valores é exatamente aquilo que não ostento
As vezes, me pego num momento de capitalismo exacerbado violento
Não vou me corromper, disso tenho ciência
Tenho tantos sonhos, planos, projetos, pensamentos, livros para escrever
Tem tantas beldades que aguardam serem cuidadas, ou mesmo descobertas
Vejo tudo por um formato tão distinto que a maioria
Ostento tantas coisas sem sentido para os de mais, que são a maioria
Não sei se sou extremista demasiada ou se valorizo muito meu livre-arbítrio
Sinceramente, não quero cair na enganação de utopias noveleiras
Das que você precisa ter status, dinheiro, carro zero e um bom apartamento com vista para a praia de copacabana
Me perdoem aqueles que necessitam disso para serem felizes
Porém, eu realmente não desejo que meus dias sejam "passados" por essa rotina
Simplesmente nasci com simples mente
E quero vida simples