4 de jul de 2009

Sinto



Sinto o sentir mais próximo de mim
A relação, a emoção, a opinião
Sinto o consumir distante daquilo que quero pra mim
Sinto o inesperado esperando algo vir
Surgir ou progredir
Sinto fluir, conduzir, abrir, florescer a pétala escolhida
Sinto o ar, o mar, o amar, o querer estar
Perto, longe, distante, constante, forte
Sinto o desejo, o beijo, e vejo ..
A paixão, o coração, a mão, a união
Sinto o calor, a dor, o pôr
Do Sol, da nuvem, da lua, do universo
Sinto o conquistar, o abraçar, o festejar
Por nascimento, por comparecimento, por momento
Sinto então a confusão, a organização, a contradição
Indispensável esta, indispesável este, indispensável aquela, indispensável por ela!
Sinto...

Laços, apenas laços!



Criamos certos vínculos dos quais não conseguimos nos libertar.
Por mais que saibamos o quanto estes não nos fazem bem, insistimos em continuar a viver e conviver como se houvesse uma harmonia entre os seres.
Nada é tão complexo que não seja simples, ou tão simples que não chega a ser complexo.
Indefere onde os acentos estão desta vez, pois eles continuam lado a lado por aceitação e não por livre arbítrio.
Por mais caminhos que a vida te leve, e maior seja a vontade se olhar e seguir novos horizontes, o laço, o círculo, a corda, muitas vezes esta no nosso pescoço e nos faz limitar-se em vez de prosseguirmos.
Pena é pensarmos ser ou estar bem quando na verdade, existe uma voz, firme, que nos condiciona a verdade.
Verdade muitas vezes vetada por nos
Verdade muitas vezes corrompidas por tabus ou pré-conceitos referente a algum conceito que a sociedade impõe como certo.
Quando certo e errado não existem e a força relativa de tudo nos leva a quartos estéreis de verdades falsárias onde o espelho reflete uma imagem que nem sempre nos convêm olhar, ou uma máscara que colocamos por receio de julgamentos alheios.
Que se foda! Essas máscaras servem apenas para um dia caírem e mostrarem o quão bom é o que está por trás destas.
O choque do inesperado é tão gratificante quanto o próprio inesperado pode ser.
É, talvez eu ainda tenha muitas opiniões utópicas a serem desenvolvidas em meu "mundinho particular", onde a verdade e a falsa imagem seja vista somente por mim. Creio apenas que não sei ao certo quanto tempo demorarei a conseguir desenvolver algum pensamento sólido, pois aos olhos alheios, sou uma louca!