28 de dez de 2009

O mal do século

Engraçado, mais acho que descobri o mal do século. Ele se chama RELIGIÃO!
Quando digo religião, não falo de fé, esperança, crença em Deus, Jah, Ala, Buda, Jesus, ou seja lá a energia vital que cada um acredite, eu falo de Religião como empreendimento de conceitos, de "verdades", de certos e errados impostos como pensamentos de salvação.

Não critico as crenças humanas e sim as palavras e ideias que são colocadas e julgadas como coerentes e "certas" ou como verdades universais quando a qual deve ser lançada para ser questionada e não "aceita". É engraçado, estive em um batizado neste domingo, ontem, e as palavras do padre eram claras e firmes quando dizia: "- É a partir de hoje que o filho de vocês tornasse filho de Deus, tornasse parte da família divina, tornasse cristão!"
Então, indago, antes eles não eram filhos de Deus? E quem nunca foi batizado, não pertence a família divina? A união e o amor que deu a vida a esse serzinho, que até então não era filho de Deus segundo ao catolicismo, não pertence a Deus?

A questão em si me indignou, porém não tanto como os olhos dos fiéis ouvindo tudo aquilo e acreditando que somente a partir daquele momento seu precioso filho fazia parte de uma sociedade que contradiz o livre-arbítrio e a propagação de um conceito fundamentado num amor que só será amor se você fizer parte desta ou ser cristão, afinal, todos os outros seres não são filhos de Deus se não forem batizados?!

Me desculpem os cristãos, mais eu não acredito nessa imposição de idéia onde há diferenças começando pelo julgamento de quem é batizado ser filhos de Deus e de quem não é!

O mal do século não é apenas a religião católica, mais todas que impoem conceitos como certos! Esse é o mal do século!